Fotografia documental e de rua no Egito



Fotografias de rua e do cotidiano de pessoas têm o poder de documentar como uma sociedade inteira se comporta e mostrar seus valores enraizados nos pequenos atos do dia-a-dia. Estes valores e comportamentos mudam com o passar do tempo, na maioria das vezes de forma sutil, quase que irreconhecível para os olhos daqueles que ali vivem.

Contudo, estas pequenas mudanças acumuladas com o passar de anos são facilmente reconhecíveis em fotografias e vídeos de épocas passadas. E, por esta e outras razões, o fator documental da fotografia se torna tão importante para nós, seres humanos.

São estas fotos das simples ações dos cotidianos de cidadãos que refletem as leis morais de um lugar, ou seja, as leis que não estão escritas e que definem o que é aceitável ou não pelas pessoas de uma dada cultura.

As fotografias das páginas Everyday Egypt no Facebook e Instagram podem ser classificadas como fotos documentais e mostram diversas partes do Egito através dos olhares e câmeras de pessoas comuns e de um time de correspondentes baseados em cidades como Cairo e Alexandria.

Recomendamos uma visita a esta página fundada por Tinne Van Loon!


Página no Facebook: Everyday Egypt



Para saber mais, visite nosso artigo:
O que é Fotografia de Rua (Street Photography) – Dicas e Técnicas

Usando a câmera fotográfica a 25°C negativos

Para participar do projeto One Day on Earth, do qual participaram fotógrafos e artistas do mundo inteiro enviando vídeos de um dia específico, o fotógrafo Alessandro Della Bella resolveu enviar um vídeo de time-lapse feito do topo de duas montanhas suíças.

O dia era 12 de dezembro de 2012. As montanhas escolhidas foram Piz Corvatsch (onde estava uma temperatura “amena” de 25°C negativos) e Piz Nair (um pouco mais “quentinho”: 15°C negativos)! Elas ficam perto de St Moritz, na Suíça. Veja o mapa mostrando a localização das mesmas:

Além de ter capturado imagens/ cenas incríveis de estrelas e constelações se “movendo”, ele teve a sorte de ter presenciado – e fotografado – uma chuva de meteoros.

Para fazer este vídeo, Della Bella tirou mais de 10 mil fotografias. Ele trabalhou com 5 câmeras Canon ao mesmo tempo, além de várias lentes e baterias. Observe que a partir dos 5min0s do vídeo, ele mostra fotos do making of, onde se conseguem ver várias fotos de suas câmeras congeladas!



Veja o vídeo a seguir:

One Day on Earth: Cold Engadin Time Lapse Night from Alessandro Della Bella on Vimeo.

Della Bella diz que trocava as lentes congeladas de vez em quando e as esquentava em frente a um forno, para poder usá-las novamente quando as outras congelassem. O vento também ajudava a tirar o gelo das lentes. As baterias tiveram que ser trocadas a cada 1 a 2 horas.

Segundo o fotógrafo, as temperaturas muito baixas causam problema no funcionamento das baterias e não na câmera em si – isso enquanto o ar estiver seco. O problema mesmo é quando a umidade está alta[*].

[*] Esta é a opinião do fotógrafo e não necessariamente reflete a opinião do CameraNeon.


Preparamos três páginas com dicas de como cuidar de sua câmera e equipamento fotográfico em condições adversas de tempo. Visite:

Moonwalk – Moonshot – Uma Missão Para Fotografar a Lua

A Lua faz as marés subirem e descerem; ela está presente em bandeiras de diversos países; virou símbolo de romantismo e também de loucura; e conecta, de alguma forma, todas as pessoas ao redor do mundo. Muitos têm a Lua como fonte de inspiração e a representam em desenhos, pinturas, fotografias e vídeos…

Este é o caso do cineasta Bryan Smith e do fotógrafo Mikey Schaefer, que fizeram fotos e um vídeo com o famoso alpinista e escalador Dean Potter praticando slackline (na modalidade highline) ao mesmo tempo em que a Lua nasce, no cenário exuberante do Parque Nacional Yosemite na Califórnia.

Com uma lente supertelefoto de 800mm em conjunto com um teleconversor de 2X, o cineasta e o fotógrafo posicionaram-se em um ponto no Melicott Dome, a mais de 1,6km de distância de Dean Potter, que estava no Cathedral Peak. A data escolhida com a ajuda do aplicativo The Photographer’s Ephemeris foi no verão de 2011, na qual a Lua nascia em uma posição particular enquanto o Sol estava se pondo.

Confira aqui as nossas dicas de como se planejar e achar a melhor locação para a sua fotografia da Lua utilizando The Photographer’s Ephemeris.

O resultado deste trabalho é simplesmente impressionante. Veja a versão final do filme a seguir e repare no movimento rápido da Lua em relação à Terra. É importante notar que o tamanho da Lua é maior do que nossos olhos podem ver – tudo graças ao uso do conjunto lente supertelefoto mais o teleconversor.

Moonwalk from Reel Water Productions on Vimeo.

Produzido por National Geographic Missions Media / com Bryan Smith, Mikey Schaeffer, Dean Potter


Artigos relacionados


Fotografias de Doha, Catar

Doha é a capital e a maior cidade do Catar, sendo também o centro econômico do país. Seu nome significa árvore grande.

A cidade, localizada na costa do Golfo Pérsico, dependia primariamente da pesca e da exportação de pérolas até os anos 30. Mais recentemente, após a descoberta de consideráveis reservas de óleo e gás, passou por um crescimento muito rápido.

Atualmente, Doha é uma cidade dinâmica e com muitas facetas, oferecendo oportunidades para fotógrafos de viagem que estão à procura de paisagens desérticas, arquitetura islâmica, pessoas com vestimenta tradicional árabe e arranha-céus envidraçados.

Welcome To Doha Timelapse from Michael Shainblum on Vimeo.


Relativamente segura, limpa e atraente, a cidade, assim como o resto do Catar, conta em grande parte com trabalhadores imigrantes para o seu crescimento. Estes trabalhadores são bastante explorados e vivem em condições de pobreza. E a pobreza não aparece na maioria das fotos divulgadas. Por isto, decidimos incluir aqui na nossa galeria não só as fotos turísticas e “perfeitas”, mas também as outras que mostram a beleza real e autêntica da cidade e de quem mora nela.

Diwali – Festival das Luzes ao redor do mundo

Diwali, ou Festival das Luzes, é uma celebração hindu que simboliza a vitória da luz sobre as trevas, do conhecimento sobre a ignorância, do bem sobre o mal, da esperança sobre a descrença. Nos dias que se celebram o Diwali, as pessoas se reúnem, fazem orações, acendem lanternas a óleo (chamadas de Deeyas), soltam fogos, comem doces, trocam presentes, dentre outros. A celebração dura mais ou menos cinco dias por ano e se inicia com a lua nova, caindo normalmente do meio de outubro ao meio de novembro. O Diwali é feriado nacional em diversos países: Índia, Sri Lanka, Nepal, Myanmar, Malásia, Singapura, Fiji, Trinidad e Tobago, Suriname, Guiana e Maurício.

Veja abaixo uma galeria com incríveis fotos desta celebração.

 

Leia mais sobre o Diwali aqui: Significado do Festival do Diwali

Lindas paisagens da Nova Zelândia com um iPhone

Estamos compartilhando com vocês uma série de fotografias feita por Alison Turner durante uma viagem à Nova Zelândia.

A série se chama Vanscapes, e tem uma história inspiradora. Podemos tirar dela algumas lições importantes, tanto para alguém que esteja começando na fotografia quanto para aqueles que gostam de fazer fotografia de viagem.

Vanscapes por Alison Turner

Alison conta que depois de um vôo de 13 horas, alugou uma van e iniciou seu passeio. Numa de suas primeiras paradas  em um restaurante fast-food, deixou a van no estacionamento e foi comprar um sanduíche. Quando voltou para a van,  suas duas malas tinham sido furtadas. Dentro delas estavam suas roupas, seu diário de viagens e inclusive sua câmera fotográfica. As únicas coisas que restaram foram sua carteira, iPhone e passaporte, que estavam com ela em sua bolsa de mão.

Depois de passar a noite na delegacia e fazer o boletim de ocorrência, finalmente na manhã seguinte iniciou-se de fato sua viagem.

Com o iPhone, tentou fotografar um grupo de ovelhas sem sucesso, já que a partir do momento que uma delas se assustou e saiu correndo, todas fugiram também.

Alison então entrou na van e abaixou o banco do motorista. Esperou um pouco para as ovelhas voltarem e bateu a foto dali mesmo, com a janela da van emoldurando a paisagem. E se encantou com o resultado. Veja a foto reproduzida abaixo.

Ela passou então a bater todas as fotos através da janela da van, imaginando que esta seria uma forma de relembrar a viagem futuramente. Além disso, ela achou que era uma forma mais legal de compartilhar a viagem com seus seguidores do Instagram, como se estivesse trazendo-os para viajar com ela dentro da van. 

Veja mais fotos na galeria a seguir.

Mesmo tendo tido sua câmera roubada, Alison seguiu sua viagem e usou um telefone para registar as belas paisagens que viu. O ponto de vista escolhido para esta série de fotos é único, criativo e inovador. Isto prova a todos nós que é o fotógrafo, e não a câmera, que faz a boa foto. Pense nisso antes de querer comprar a câmera mais cara, ou ainda antes de dizer que não quer aprender fotografia porque não tem uma câmera boa. A primeira coisa que o interessado em fotografia deve estimular é o seu olhar!

Outro ponto a ser acrescentado é sobre a importância de se planejar uma viagem fotográfica, estando sempre atento à sua segurança. Veja nossas dicas de fotografia de viagens aqui: Viagens Fotográficas em 7 Passos – Do Planejamento à Volta


Todas as fotos deste post foram usadas com permissão de Alison Turner. Para viajar mais com a fotógrafa, visite sua página no Instagram

Diferença entre time-lapse e hyperlapse

Conteúdo


Introdução

Para entender o qual é a diferença entre hyperlapse e time-lapse, temos primeiro que compreender o que é time-lapse.


O que é time-lapse – Definição

Um vídeo de time-lapse é aquele em que diversas fotografias são exibidas de forma sequencial e mostram o tempo passando de forma acelerada, sem detalhar o que ocorreu entre uma foto e a próxima.

Uma tradução livre do termo time-lapse para português é “lapso de tempo”. A palavra lapso é muito utilizada quando nos esquecemos de algo: Por exemplo, se alguém esquece o que fez ontem à tarde, podemos dizer que esta pessoa teve um lapso. O nome dessa técnica de vídeo time-lapse vem deste mesmo princípio: A câmera não está filmando o tempo todo, mas sim fotografando de tempos em tempos. É como se ela tivesse “esquecido” o que se passou entre uma foto e outra.

A cargo de exemplo, digamos que a câmera foi configurada para tirar uma foto por hora. Depois de um dia inteiro fotografando você vai ter 24 fotos no cartão de memória. Para fazer um vídeo de 24 quadros por segundo, que é a frequência ideal para filmes, estas 24 fotos que demoraram um dia inteiro para serem fotografadas são mostradas no vídeo em apenas UM SEGUNDO. Neste caso, para fazer um filme de 10 segundos, o fotógrafo iria precisar de 10 dias fotografando!

diferenca-entre-time-lapse-e-hyperlapse-1-

Veja um exemplo de um vídeo de time-lapse a seguir:


O que é hyperlapse – Definição

Hyperlapse nada mais é do que um vídeo de time-lapse em que a câmera é reposicionada (movimentada) por uma distância considerável ao longo do vídeo.

A câmera não precisa estar em movimento durante o vídeo inteiro para ele ser considerado hyperlapse. Em vários momentos do filme, a câmera pode ter ficado parada gravando o “velho e bom” time-lapse.

Além disso, filmes de hyperlapse às vezes misturam o filme acelerado (tipo time-lapse) com filme normal (de 24 quadros por segundo). Isto dá um efeito bem interessante no produto final: Em alguns momentos, o filme é acelerado e em outros progride normalmente.

O termo hyperlapse foi utilizado pela primeira vez publicamente há decadas atrás. Não confunda com o aplicativo popular de Instagram lançado em agosto de 2014!

Veja a seguir um vídeo de Hyperlapse feito na Coreia do Norte – politicamente, um dos países mais fechados do mundo:

Enter Pyongyang from JT Singh on Vimeo.


Diferença entre time-lapse e hyperlapse

Agora, que as definições de hyperlapse e time-lapse foram explicadas, fica mais fácil entender a grande diferença entre os dois:

Enquanto o vídeo de time-lapse é baseado em fotografias tiradas com a câmera parada ou se movendo muito pouco, o filme de hyperlapse mostra o ponto de vista da câmera percorrendo distâncias maiores livremente, passando pelo meio de pessoas, terreno acidentado, voando junto de um avião etc, dando um senso movimento ao filme.


App do Instagram – Hyperlapse

Este aplicativo, na verdade, é apenas mais um app de smartphone (entre MUITOS outros) que permite o usuário fazer vídeos a partir sequências de fotografias. O aplicativo é interessante pois populariza os vídeos de time-lapse.

Contudo, tenha em mente que o nome deste aplicativo é confuso! Com este aplicativo você consegue fazer vídeos de time-lapse ou hyperlapse. Tudo depende da movimentação do smartphone durante a gravação do vídeo.


3 similaridades dos vídeos time-lapse e hyperlapse

1 – Por se tratarem de vídeos feito a partir de fotografias, ambos time-lapse e hyperlapse são filmes que inicialmente ficam sem som. Precisam de pós-processamento para adição de músicas de fundo e efeitos de som.

2 – A alma dos dois vídeos é contar uma estória de forma acelerada, mostrando em pouco tempo um evento que pode ter perdurado horas ou dias… ou até meses.

3 – Ambos NÃO são feitos a partir de vídeos: Em essência, tanto time-lapse quanto hyperlapse são filmes feitos a partir da união e sequenciamento de diversas fotografias. Portanto, classificar um filme acelerado como time-lapse ou hyperlapse não é válido.

Exemplo: Apesar de mostrar resultados bem interessantes, a tecnologia de hyperlapse sendo desenvolvida pela Microsoft NÃO deveria ter este nome.

Fotografando suricatos

Ser fotógrafo de natureza tem muitas vantagens…

Acompanhe o inglês Will Burrard-Lucas fotografando suricatos no deserto do Kalahari, na Botsuana (sul da África).

Os suricatos são altamente sociáveis. Se juntam em grupos de 20 indivíduos, podendo chegar até a 50. Vivem de 12 a 14 anos e têm de 25 a 30cm de altura, pesando em torno de 730g.

Eles gostam de observar ao longe e por isso, ao longo do vídeo, é possível ver que eles sobem em cima do fotógrafo, usando-o como um posto de observação. Depois de anos de convivência, eles aprenderam que os humanos não oferecem ameaça.

Veja a seguir algumas fotos tiradas pelo fotógrafo. Repare que em 3 fotos ele usa uma curta profundidade de campo, desfocando o fundo e deixando os animais em destaque. Apenas na segunda foto ele usa uma abertura menor, permitindo uma profundidade de campo maior e por isso focando em uma área mais ampla.

Burrard-Lucas Photography

Burrard-Lucas Photography

Burrard-Lucas Photography

Burrard-Lucas Photography

Para ver mais fotos, visite: Will Burrard-Lucas – Photographing Meerkats